y ahora josé?

brasil: quanto mais se lê a respeito, menos se tem vontade de saber sobre ele. 1o. o fato de os que vieram pra cá terem sido a escória lusitana. mais recentemente, saber que os que lá ficaram não eram os fidalgos originais, mas sim a 2a. linhagem – e aí a gente se lembra daquele interessante dito popular:

pai rico, filho nobre, neto pobre.

a história segue e a gente se recorda das práticas entreguistas dos patrícios em favor do mercantilismo bretão – e a pressão que esse país teria feito sobre a terra, cujo nome deriva de um pedaço de pau, para que esta acabasse com a escravidão. eis que num certo dia 13 de um maio não-qualquer uma senhora dá uma canetada, e a negada se vê alforriada. aquela comoção! festa, skindô, skindô! chega o “sábado 14” e vem aquela barred reality: e agora josé? (o autor dessa ainda não havia nascido) que será feito de nós? (alguns vários anos depois surgem medidas afirmativas, copiando em parte o modelo ianque, e eu me pergunto se isso não teria sido uma espécie de tentativa de reconciliação com os negros, em virtude do abandono pelo estado quando da alforria. por mais que digam que não era essa a proposta, eu não consigo largar mão desse pensamento…) tenho plena convicção (ha!) de que o lugar onde se aplica a famigerada cota é errado, posto que a peneira ali mais se parece com um filtro, e mesmo achando que o lugar é errado, um me corta e diz que se fosse ela aplicada em outro canto, ela não geraria massa de manobra para voto. vejo-me sem argumento, pois isso parece verdade.

surge então um fenômeno chamado lava-jato. e a turba compra a causa da operação, dada a campanha maciça da mídia em prol dela. o que a turba, sedenta de sangue (em sua grande maioria, gente de classe média, iletrada politicamente, e ainda inconformada pela ascensão de um analfabeto) não percebe (ou ignora) é que essa farsa é seletiva, e que todos os pássaros de plumagem predominante preta, com um detalhe branco no papo e de bico laranja e comprido ficam de fora – sabe o helicóptero? para o qual há provas, mas não convicção? poix.

até então não tava claro quem estava por trás dessa empreitada, mas parte do objetivo sim: derrubar uma legenda e seus principais representantes. vê-se que o resultado foi alcançado, uma vez que tivemos uma presidente destituída, e um partido mutilado – vai levar uns 15-20 anos para que ele se reerga, se lograr fazê-lo. mas aí você começa a brincar de lego:

  • artigo da carta capital, de 12 anos atrás, falando da diplomacia hipócrita dos eeuu, e do quão profunda é a interferência deles no mundo – depois se perguntam porque são a nação mais odiada do planeta…
  • um vídeo extremamente esclarecedor sobre como as FFAA e nossa casta política da época foram manipuladas e como essa manipulação se transformou em um golpe – o de 64
  • a destruição da petrobrás
  • a agora-não-mais-tácita mancomunação de alguns órgãos do país com entidades dos eeuu, com uma proposta entreguista (já cantaria leo jaime: uouo ô ô, nada mudou…)

e com essas peças se encaixando, de novo você se pergunta: e agora josé? pessoas ficam aí comprando o mote da luta contra a corrupção, e se indignando em virtude da insurgência de um certo presidente do senado (e o que dizer da inconstitucionalidade desse ato? e o precedente aberto, quando do afastamento do EC?), quando na verdade o que está em jogo são as rédeas do país – um verdadeiro cabo de guerra entre os que têm a legitimidade do estado para legislar, e a ditadura dos homi da capa preta (os intocáveis), endossada pelo PiG. com esse cenário de entreguismo que se anuncia, face às PPEECC que estão em vias de serem aprovadas, eu me pergunto se mesmo a legenda blindada pelos homi da capa preta terá reais condições de surfar nessa onda. (os movimentos do parlamento – a desfiguração das 10 medidas na câmara e a “insurgência” no senado – foram cartadas fantásticas. não que eu endosse essa não-representatividade que há muito já é característica dos políticos que nas duas casas estão – já faz tempo que eles representam os próprios interesses e os do partido [provavelmente nessa ordem mesmo], mas ainda assim, foram dois movimentos interessantíssimos, porque puseram os homi da capa preta em seu lugar.)

é um misto de desespero e desconsolo, sem precedentes. nessas horas a única coisa que me dá vontade de fazer é abrir a janela e gritar bem alto: vem logo, meteoro! já passou da hora de darmos um reboot nessa matriz.

Advertisements

About rennrad

It's all about two wheels, being them bicycles or motorcycles.
This entry was posted in journal and tagged , . Bookmark the permalink.

One Response to y ahora josé?

  1. Érika S. says:

    O seu humor no texto está mais para um “riso nervoso” que para um “stand up”, isso fica claro, não se preocupe. Já há uma previsão para a chegada do meteoro? Preciso arrumar minhas malas!
    Belo texto, kokoro! :**

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s